DÓLAR HOJE:
Euro Hoje
14 de julho de 2024
Search
Close this search box.

Hortênsias News

Câmara de Gramado realiza audiência pública para debater Operação Urbana Consorciada (OUC) Lago Negro

Compartilhe este artigo

Nota Oficial sobre Licitação nos pedalinhos do Lago Negro - Prefeitura de  Gramado
O Projeto de Lei Ordinária (PLO) 016/2022, que institui a Operação Urbana Consorciada (OUC) Lago Negro, tramita na Câmara de Vereadores de Gramado desde fevereiro, quando foi protocolado pelo Executivo Municipal. Na noite desta quarta-feira, dia 1º de junho, uma audiência pública foi realizada na Casa Legislativa para ouvir a comunidade em relação ao projeto.

Na oportunidade, o secretário municipal de Planejamento, Rafael Bazzan Barros, explicou o que é a OUC e destacou os objetivos da Prefeitura. De acordo com Bazzan, a Operação busca adequar infraestruturas necessárias para dar suporte ao adensamento populacional e ao desenvolvimento econômico e turístico do município e da região, assim como melhorar as condições de acesso e mobilidade no local, valorizar a paisagem e também atrair investimentos com a instalação de equipamentos turísticos privados.

imagem galeria

A Operação elenca problemáticas identificadas pelo Executivo Municipal no entorno do principal atrativo da cidade, o Lago Negro, como insegurança, falta de iluminação, ausência de coletora de esgoto e de passeios públicos.

O intuito, segundo a Prefeitura, é alcançar – em parceria com a iniciativa privada – soluções alinhadas ao desenvolvimento do turismo e à valorização ambiental daquela região. As áreas atingidas pela OUC Lago Negro são a Praça Maldonado, o Parque Carriéri, o Lago Negro e grandes áreas vazias ao longo da Perimetral.

Todos os vereadores presentes reconheceram que a localidade debatida precisa de uma revitalização e que a Operação é um instrumento moderno e uma possibilidade para melhorias nas áreas citadas. Os parlamentares Neri da Farmácia, Rosi Ecker Schmitt e Roberto Cavallin (Progressistas) se posicionaram favoráveis ao projeto e realizaram questionamentos ao secretário.

Os vereadores Rodrigo Paim, Cícero Altreiter e Renan Sartori, do MDB, Celso Fioreze (PSDB), e Professor Daniel (PT), destacaram preocupações em relação ao futuro da área após o projeto aprovado, tendo em vista que o PLO 016/22 não especifica as contrapartidas.

Segundo o presidente da Comissão de Infraestrutura, Turismo, Desenvolvimento e Bem-Estar Social, vereador Professor Daniel, a audiência pública foi chamada justamente para ouvir a comunidade em relação a essa temática. “O projeto precisa ser claro e mostrar o que vai permitir que a iniciativa privada faça”, ponderou.

O secretário Rafael explicou que a Operação Urbana Consorciada abre a possibilidade de investidores fazerem suas propostas de ocupação, mas frisou que o instrumento é um marco regulatório e não pode ser uma lei fechada e restritiva. “A Operação tem que resolver as problemáticas que foram elencadas”, assegurou o representante do Executivo.

Nas manifestações da comunidade, ficou acentuado o receio dos moradores com a instalação de novos empreendimentos na área atingida pela OUC e os modelos de negócios que poderão descaracterizar e, ainda, reforçar, os problemas vividos na localidade atualmente.

No Carriéri, por exemplo, o projeto aponta que poderá ficar permitido o cercamento do local (com acesso de área mínima), além de cobrança de ingressos. “Podemos ter o entendimento de que poderá ser liberado a concessão de atividades comerciais ligadas à diversões públicas, entre elas nosso pesadelo: a roda-gigante”, aponta o documento protocolado nesta quinta-feira, dia 2, na Câmara, pela Associação de Moradores do Bairro Planalto (Ambap).

Por fim, todos destacaram a importância da audiência pública para a construção de melhorias ao projeto e àquela região. Diante das manifestações, o secretário Rafael salientou que analisará a possibilidade de incluir parâmetros mínimos no PL em relação às contrapartidas e também estratégias que assegurem a preservação da história do local. “Tem pontos do plano que a gente pode evoluir”, atestou Bazzan.

Fonte: Ascom CMG
Foto Destaque: Reprodução
Foto 2: Letícia de Lima

Compartilhe este artigo

Deixe seu comentário

Para comentar na página você deve estar logado em seu perfil do Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que firam a ética e a moral poderão ser denunciados, acarretando até mesmo na perda da conta. Leia os termos de uso e participe com responsabilidade.